Como contratar um financiamento imobiliário?

21 set

Um dos caminhos mais viáveis da atualidade para adquirir um imóvel próprio ou mesmo para investimento é o financiamento. Apesar da turbulência financeira que assolou o mundo recentemente, o sonho da casa própria está cada vez mais palpável para os brasileiros. E com o crescimento expressivo do setor imobiliário nos últimos anos, as instituições financeiras apostam cada vez mais nesse tipo de crédito.

É hora de aproveitar as facilidades que vigoram no mercado imobiliário em ascensão. Mas antes de optar por um ou outro tipo de crédito, é preciso planejar. Estabelecer pontos como o perfil do imóvel desejado, a renda familiar, o valor que será destinado para as parcelas, o montante reservado para a entrada e o prazo ideal para o financiamento é indispensável, já que estamos falando de um investimento a longo prazo.

É crucial poupar recursos para providenciar a documentação necessária e para pagamento de tributos. Uma boa dica é destinar uma reserva para amortizar o saldo devedor sempre que possível e assim liquidar a dívida antes do prazo determinado.

Neste post, iremos esclarecer as principais dúvidas sobre o financiamento imobiliário.

Qual o primeiro passo para fazer um financiamento imobiliário?

Verificar as taxas praticadas pelos bancos e simular o financiamento disponibilizado nos próprios sites das instituições. Chegar com esses dados em mãos pode facilitar na hora da negociação. O próximo passo é ir ao banco portando os documentos necessários para obter o crédito pré-aprovado.

Após a visita ao banco já é possível saber o quanto será concedido de crédito. Encontrado o imóvel, você deve voltar ao banco com os documentos para dar entrada no pedido de financiamento.

Quais são as modalidades de financiamento imobiliário existentes?

Além do Programa Minha Casa Minha Vida, a legislação nacional permite o financiamento de imóveis por meio de dois sistemas, que geralmente, subsidiam até 80% do valor total da propriedade desejada.

É o caso do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), disponível para financiamento de imóveis com valor máximo de R$ 500 mil e permite o uso de recursos do FGTS e da poupança. Os bancos são obrigados a ofertá-lo conforme regras estipuladas pelo Sistema Financeiro Nacional, como juros máximos de 12% ao ano mais taxa referencial de juros.

Para a utilização do FGTS, o SFH também impõe três regras:

•    Nos últimos três anos, o comprador não pode ter sido adquirido imóvel com a utilização de recursos do FGTS para a entrada.
•    O imóvel deve estar localizado no município onde o comprador exerce a ocupação principal, na região metropolitana, em município limítrofe ou, ainda, no município onde ele more, desde que seja comprovada residência no local há pelo menos um ano.
•    O imóvel deve destinar-se à residência do comprador.

O que muitos não sabem é que é possível comprar um imóvel de luxo ou comercial – com avaliação superior a R$ 500 mil – graças a uma modalidade de financiamento conhecida como carteira hipotecária, que pode cobrir até 80% do valor da propriedade e estende o prazo de pagamento para até 30 anos, dependendo da instituição escolhida.

Nessa transação, é vetado o uso do FGTS e os juros são livres. Mas uma das facilidades é a não obrigatoriedade da observância às regras do SFH, o que permite a livre negociação entre contratante e o banco, o que faz a carteira hipotecária ser atrativa até mesmo para a classe média. Além disso, não há um limite de preço para o imóvel financiado e os prazos também podem ser negociados.

Qual os documentos necessários para o financiamento imobiliário?

Entre os documentos necessários para dar entrada no financiamento estão: extrato bancário, CPF, Imposto de Renda e Carteira de Identidade (e, no caso de um imóvel usado, CPF dos proprietários, cópia do espelho do IPTU, declaração de quitação do condomínio e registro do imóvel).

É preciso ser correntista do banco para pedir o financiamento?

Não, mas alguns bancos dão descontos e planos especiais para os correntistas.

Qual as principais exigências para se conseguir crédito em um banco?

Apesar de haver uma série de detalhes que variam de banco para banco, a regra mais importante é que o valor da prestação não pode ser maior que 30% da sua renda mensal líquida.

É necessário estar em um emprego formal para conseguir o crédito?

Não necessariamente. Existem outras maneiras de comprovar a renda. Para quem não tem registro em carteira é necessário apresentar o seis ultimos extratos bancários. Já quem é registrado precisa entregar o holerite com as informações de sua renda mensal e também é preciso estar registrado há pelo menos três meses.

Até quantas vezes o imóvel pode ser financiado?

Alguns bancos fazem financiamentos de até 360 meses, ou seja, 30 anos. O prazo de financiamento, porém, depende da renda de cada pessoa.

Qual a diferença entre financiar um imóvel novo e um usado?

A maioria dos bancos financia entre 60% e 80% do valor dos imóveis usados. Já com imóveis novos, o financiamento pode chegar aos 100%.

O que acontece se as prestações não forem pagas?

É importante que o solicitante saiba que, ao adquirir um financiamento imobiliário, ele está usando um dinheiro emprestado, portanto deverá saldar esse empréstimo de acordo com as normas específicas desse crédito imobiliário, em determinado número de anos, pagando prestações mensais resultantes de um cálculo definido.

O banco faz diversas negociações para a pessoa pagar o financiamento, mas se a dívida não é paga, o banco pode mandar o nome da pessoa para cadastros de devedores, como a Serasa. Caso não haja uma saída negociada, o imóvel vai para leilão.

Temos 3 pessoas comentando em “Como contratar um financiamento imobiliário?”

  1. Don Sergione 26. abr, 2011 às 23:02 #

    acho muito interessante as assessoria especializadas que fazem o financiamento, eu sou da seguinte opinião corretor de imóveis tem que vender, o profissional que tenta fazer tudo de uma vez acaba não fazendo nada certo …

  2. Elisvaldo 22. set, 2011 às 17:29 #

    Exelente essa materia, esclarece muito sobre o tema e dá uma otima noção. Valeu!!!!!

Trackbacks/Pingbacks

  1. » Apartamento novo ou usado? - 11. abr, 2011

    [...] dica é conversar com um corretor e analisar planos de pagamento. Contratar um financiamento é uma boa saída para quem optar por apartamento novo, mas não tem recursos imediatos para tal [...]

Deixe uma resposta